Séries de Natal: o que ver na Netflix (e vale a pena?)

Ainda estamos a comer rabanadas e já percorremos a lista de filmes de Natal. E séries? O que se vê nesta época do ano? As que temos em atraso, provavelmente. Mas e as séries de Natal?

Fui à procura de um Top de Séries de Natal por esse Google fora. Cliquei no primeiro link porque estou mais preguiçosa do que o habitual. A lista é apenas da Netflix. Se tiverem outros streams, deixem as recomendações nos comentários.

Vi os trailers (acharam que ia ler sinopses e reviews?!), e tentei perceber sobre o que eram. As coisas que eu faço por vocês. Que canseira!

 

 Dash and Lily

Séries de Natal

Falamos, obviamente, de séries de Natal, a julgar pela música, luzes e decorações. Um livro numa biblioteca. Vermelho, diz na capa “Do you dare…”. Sem autor. Pensei que fosse algo de autoajuda. Felizmente, não. Dois jovens, um rapaz e uma rapariga, trocam mensagens através desse caderno, sem nunca se verem. Há ali um romance qualquer entre eles. Creio que se desafiam um ao outro em certo ponto. Só isso explica a parte em que o moço rouba o gorro do Pai Natal do shopping e uma cena com um travesti a abrir uma tampa de esgoto. A habitual narrativa com as vozes de um e outro, correrias, muitas divisões decoradas com inspiração no Instagram, aquelas dúvidas existenciais de adolescentes ou jovens – “E se o aspeto da rapariga na cabeça dele é diferente do meu?”. No final, uma porta abre-se e o miúdo, o protagonista, pergunta: “Lily?”. Se calhar é ela, se calhar não. Como dizia o meu pai sobre as novelas nos anos 90: “No fim, é uma velha pela qual ninguém dava cinco tostões”. Quem sabe.

How to Ruin Christmas: The Wedding

Séries de Natal

Pelo dialeto, sotaque e roupas, África do Sul? Acertei. Uma rapariga volta a casa para o casamento da irmã, que será no dia de Natal.  A mãe apenas lhe pede para não arruinar o casamento. A irmã é a filha favorita, pelo que parece.

Não é um casamento qualquer. O pai do noivo diz que é muito importante! Vai passar na televisão. É aqui que dou a primeira gargalhada: “Do you know what black twitter is like? Do you want to turn me into an hashtag?!”. Os pais são doidos nos casamentos e aqui não parece ser exceção. A mãe é uma leoa! Claro que há uma festa de despedida de solteiro e as coisas dão para o torto. Não percebi bem quem desapareceu. E há um tio que volta da cadeia? Estou farta de rir, já vi duas vezes o trailer. As deixas dos atores são fantásticas, o humor é rápido e certeiro. Não se consegue perceber muito mais e é bom assim porque dá vontade de ver a série. Esta, vou ver!

Nailed it! Holiday

Tive de meter este aqui embora não seja uma série. Porquê? Porque este programa representa cada um de nós nas suas aventuras culinárias de Natal. Não nos condenem. Ao fim de uma semana a ver os bolos perfeitos no 24 Kitchen, de madrugada, temos de nos levantar do sofá e tentar!

Nailed It! é já um sucesso na Netflix. Os concorrentes tentam recriar bolos perfeitos, com os seus talentos (bastante limitados) de pastelaria. E no Natal, é um esforço extra. Sabem quando pensamos: “Se tivesse o robot de cozinha XPTO ou a espátula y, aposto que conseguia fazer este bolo em forma de estância de ski na perfeição!“. Não, não conseguiam!

Neste trailer, vemos as coisas mais hediondas que já alguma vez saíram de um forno. Se fiquei enjoada apenas por olhar, nem imagino o que seja provar. Mas alguém tem de provar. Vão lá dar uma espreitadela. Como vêm, na foto acima, até a Maya Rudolph está lá.

Home for Christmas (2ª Temporada)

Séries de Natal

Para já, não percebo nada do que dizem. Vou procurar um trailer legendado para perceber porque está entre as séries de Natal. Se bem que teria graça tentar adivinhar o que se passa sem entender uma palavra.

Ok. Noruega. Uma rapariga está extremamente entusiasmada com o Natal. Fez planos! Vai deixar o passado para trás e começar um capítulo novo, sair para ir ao cabeleireiro com a melhor amiga e percorrer os bares a seguir, meter conversa com homens giros e… a mãe abandonou o lar. Quem é que organiza o Natal?

Ah, os noruegueses! Conseguem sempre colocar a frieza do clima deles em tudo o que fazem. Adorava morar lá. Enquanto a mãe procura conhecer-se a si própria, a protagonista encarrega-se de organizar o Natal para a família. Pelo meio, vemos um pedido de casamento (talvez a irmã), alguns dates, a tristeza do pai, a decoração perfeita dos nórdicos, muita música a puxar ao sentimento, e uma mesa cheia de pessoas com uma mensagem muito bonita e inspiradora. Foi fofinho o trailer. Não faz o meu género, mas admito que me deixou com aquela lagrimita no olho. A atriz (não sei quem é) é encantadora, e o cenário muito bonito. As histórias familiares são sempre um bom mote para esta época que é tudo menos perfeita.

Merry Happy Whatever

Séries de Natal

Não fazia ideia que o Dennis Quaid ainda entrava onde quer que fosse. Para quem tem mais de 30 anos, é o marido da Meg Ryan. Para quem tem à volta de 20 anos, é o pai do ator que faz de Hughie na série The Boys.

Ok. Isto parece uma sitcom. Risadas de fundo… É logo um turn off tremendo, embora ainda funcione e seja típico neste género. Pelo que percebi, o Dennis Quais é o patriarca de uma família e xerife. Uma das filhas, vem a casa no Natal e traz o seu novo namorado. Este não parece ser do agrado do pai. Vemos a dinâmica familiar habitual, as piadas à custa do recém-chegado e, uma ideia genial para os que “casaram”, como eu, com alguém de uma família numerosa: um grupo de apoio para os cônjuges. Estou a enviar mensagem aos meus cunhados enquanto escrevo isto, vamos criar uma sala no whatsapp só para nós. Oh, é genial! E foi a melhor coisa que tirei deste trailer. Não vamos ver nada de novo. Serve de ruído de fundo quando estamos à mesa e não vemos bem o ecrã da televisão.

Holiday Secrets

Nada melhor que uma série alemã para fugir aos estereótipos de Natal. O mar escuro, a casa isolada, familiares que apenas se toleram neste dia e segredos.

Por mais que nos afastemos de casa, todos temos de regressar no Natal“. Sold! Além daquela casa ser a dos meus sonhos, o tom de abertura do trailer prende de imediato os que preferem uma visão mais realista desta época. A avó está doente e revela um segredo. Não sabemos qual. Isso altera a dinâmica da família que parece ser, já por si, instável. Qualquer que seja o segredo revelado pela idosa acamada, é grave. Não nos é disto, é mostrado na estética germânica durante os quase 2 minutos de preview na Netflix. Aliás, nada nos é revelado. Ficamos em suspense.

As séries alemãs têm-nos impressionado pela positiva (Dark). Esta minissérie de três episódios mostra como uma simples noite de Natal pode funcionar como viagem ao passado para as famílias. Não a vou ver por ser o Grinch oficial cá de casa, para remar contra a maré de “luz e paz” que reina nesta época (adoro o Natal) ou para levantar o dedo e dizer que também há tristeza no Natal. Sabemos todos disso. Vou ver porque parece ser mesmo boa.

 

Feliz Natal, amantes de séries! Que a casa esteja quente, a barriga cheia, o sofá no sítio e a net sem falhas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

one × 5 =