Fall River: preso há 40 anos estará inocente?

O true crime é a nova aposta dos canais TVCine, que estreiam hoje «Fall River», um documentário sobre crimes macabros que foram associados a um culto satânico. Estará o alegado culpado inocente?

Fall River

Não há como negá-lo: as séries de real crime estão na moda e têm sido uma das apostas constantes entre canais e streaming. Numa altura em que os TVCine se tentam encontrar, depois do rombo provocado pela chegada da HBO a Portugal e da acérrima competição (boa para quem gosta de séries) que existe, uma das soluções poderá passar por embarcar na tendência. E com um inesperado sentimento português. Se nomes como Alves e Joaquim não despertarem de imediato essa curiosidade, há reportagens (como esta de 1989) que atestam a ligação da localidade de Fall River, bem como da vizinha New Bedford, a comunidades de emigrantes portugueses.

Após o histórico e macabro crime em torno de Lizzie Borden, cujos pais morreram brutalmente em 1892, a mulher tornou-se uma figura do “folclore” norte-americano. E as teorias mantêm-se até hoje… mas não é disso que a série fala. «Fall River» é sobre uma morte violenta em 1979, associada a um culto satânico liderado por Carl Drew, o que conduziu o homem à cadeia, onde se encontra há 40 anos. Em quatro episódios, «Fall River» desconstrói esta narrativa e tenta perceber, afinal, o que esteve na origem de uma sucessão de crimes terríveis em Fall River, Massachusetts.

Fall River

O primeiro episódio é desconfortável para o espectador, até em termos de narrativa. Depois de uma micro empatia com Carl Drew, antes da revelação do seu histórico criminal, a audiência é envolvida numa teia de mistério onde Drew surge como um monstro. A par de Robin Murphy, também encarcerada desde aquela altura quando, com apenas 17 anos, era uma das proxenetas mais poderosas de Fall River. Uma localidade marcada pela prostituição, pela violência e por uma série de traumas que até hoje marcam os intervenientes. Mas o tom muda quando Drew é apontado como possível inocente.

Detido sem recurso a qualquer prova, além da história criada em torno do caso, Carl Drew tem a oportunidade de falar na primeira pessoa para se defender. Numa narrativa relativamente curta, a série original da EPIX estabelece uma relação de causa-efeito entre a investigação da época, com os inspetores a voltarem a ter voz, as testemunhas “paralelas” e os próprios acusados. Um mistério que não vai deixar ninguém indiferente, até por estar fortemente relacionado com casos de satanismo.

O primeiro episódio estreia esta noite, às 22h10, no TVCine Action.

 

Texto originalmente publicado aqui

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

eleven + thirteen =