Big Sky: rapto dá mote a mistério sólido

O Disney+ passa a contar com produções do Star a partir desta terça-feira, 23. Tive acesso antecipado a «Big Sky», uma das séries que integra o streaming no imediato.

Big Sky

David E. Kelley está determinado a não sair dos nossos ecrãs. Depois de apostas recentes como «Big Little Lies» e «The Undoing», o multifacetado autor traz agora «Big Sky». O drama centra-se na investigação de um duo improvável, que tenta descobrir onde se encontram duas adolescentes desaparecidas. A série teve algumas críticas muito positivas, incluindo do incontornável Stephen King, e chega terça ao Disney+.

Jenny (Katheryn Winnick) e Cody Hoy (Ryan Phillippe) são um casal separado e mal resolvido, que é abalado com a confirmação de que o investigador privado se envolveu com a colega Cassie (Kylie Bunbury). O drama é uma constante desde cedo, com as dinâmicas familiares a desconstruirem-se desde cedo, mostrando um lado muito intenso e nem sempre claro. Ainda a lidar com um emaranhado de emoções, a dupla volta a ser testada quando a namorada do filho e a irmã desaparecem sem deixar rasto, numa estrada secundária. O mistério adensa-se quando descobrem que elas não são as primeiras a desaparecer.

Big Sky

Inesperadamente a trabalhar em conjunto (Jenny é uma ex-polícia), o grupo não olha a meios para chegar a uma resposta e, para tal, chega ao contacto com o agente Rick Legarski, que nos traz um John Carroll Lynch ao seu melhor nível. O elenco bem conseguido é, aliás, uma das forças do argumento que, na sua falsa leveza inicial, esconde uma ação muito profunda e bem conseguida. E que, ainda assim, tem a capacidade de criar várias storylines para proporcionar um ritmo menos pesado à narrativa.

No entanto, o tema central é bastante obscuro. Danielle (Natalie Alyn Lind) e Grace (Jade Pettyjohn) fazem uma longa viagem até Montana, mas um conjunto de imprevistos leva as irmãs a cruzarem-se com o grande vilão da narrativa, uma interpretação soberba de Brian Geraghty. Apesar de não serem os primeiros alvos do criminoso, a verdade é que têm finalmente a capacidade de atrair as atenções e uma investigação.

Big Sky

Além de um drama familiar, «Big Sky» foca também as duplas (e não só) improváveis que se criam até nos lugares aparentemente mais pacatos do Montana. Embora o conflito pareça inicialmente quase “novelístico”, a verdade é que os minutos finais do primeiro episódio mudam completamente o espírito da trama e preparam-nos, através do choque, para o desafio que se avizinha nos próximos capítulos. Um bom drama e um dos principais destaques no catálogo Star, a não perder.

 

Texto originalmente publicado aqui

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

three × three =